26 outubro 2008

Ducks varrem o leste canadense

Pela apenas a terceira vez desde a temporada 1992-1993, um time consegue bater a trinca do leste do Canadá em seguida, formada por alguns dos times mais tradicionais de toda a NHL. O Anaheim Ducks, campeão da Stanley Cup em 2007, teve um começo horroroso nessa temporada. Duas vitórias e cinco derrotas, em sete jogos, incluindo derrotas acachapantes para seu rival de divisão Coyotes e seu rival eterno, Kings. O time começava a dar amostras que seu experiente elenco poderia estar ultrapassado. O que esperar então desse tour pelo país vizinho?


Na terça-feira, a "turnê" começou com uma apresentação em Toronto, contra o Leafs, com certeza o mais fácil dos três adversários que teria que enfrentar. Mas a partida não foi nada que possa ser chamada de fácil. Beauchemin abriu o placar, e o lutador de boxe travestido de jogador de hóquei, George Parros, ampliou ainda no 1º período. Mas o Ducks se acomodou no jogo e o time da casa veio pra cima. O time da Califórnia deu apenas 4 chutes no 2º período e nenhum na 3ª parte, enquanto o Maple Leafs deu 28 na soma dos dois períodos, sendo que dois deles entraram, um em cada período, todos anotados por Nik Antropov. Sendo assim, após uma OT nula, o jogo foi para o SO, onde a experiência prevaleceu e com gols de Selanne e Perry, o Ducks venceu por 3 a 2.


E vamos para a capital canadense. O desafio seria maior pelo alto poder ofensivo da Linha 1 do Sens, composta por Alfredsson, Spezza e Heatley. E foi essa linha que deu trabalho. O jogo começous truncado e o placar só foi aberto no meio do 1º período, pelo Ducks, por Brian Sutherby. E assim ficou até o 2º período, quando Marchant, aos 50 segundos, Pahlsson e ainda Getzlaf, em situação de vantagem numérica, fecharam a 2ª parte praticamente definindo o jogo. Mas o experiente time do Ducks caiu muito de rendimento no último período devido a fadiga e o Senators foi pra cima que nem um caminhão desgovernado. Com dois gols de Power Play em menos de 2 minutos, marcados por Alfredsson e Picard, e um de Chris Neil, Ottawa voltou para o jogo ainda tinha 10 minutos para empata-lo. Mas eis que Jonas Hiller, que estava no gol, e a defesa comandada por Scott Niedermayer acordaram e seguraram o placar como estava para assegurar a segunda vitória seguida em solo canadense.

O terceiro jogo seria o mais difícil. Ia pegar o embalado Candiens, que vinha de 5 vitórias seguidas e ainda não tinha perdido no tempo normal nessa temporada, no nada amistoso e lotado Centre Bell. Apesar de tudo, o centenário Habs não tinha seu ponta Andrei Kostitsyn e seu goalie titular Carey Price, poupado por gripe. E eis que novamente o Ducks começou bem o jogo, e aproveitando do momento em que a fraca Linha 4 do time da casa estava no gelo, Huskins abriu o plcar aos 2 minutos. Com 5 minutos de jogo Montreal teve um contra-ataque de situação de 3 contra 2 a favor, mas Higgins perdeu o controle do puck e o entregou Kunitz que conectou Perry que entregou para Getzlaf que fuzilou a meta bleau-blanc-rouge. Mesmo assim voltou a aparecer o velho problema de indiciplina do time de Anaheim. Em sua primeira opotunidade de vantagem numérica, Tanguay pos na rede de Giguere após belo passe de Kovalev. Após cinco minutos de pura pressão cadanadense, o capitão Saku Koivu empatou o jogo para alegria da torcida.


E o segundo período começou muito bem para o Habs. Tom Kostopoulos marcou de backhand no segundo minuto e deu indício que abrira a porteira da meta californiana. Mas após um belo drible de Kovalev, o mesmo caiu no chão e acabou por derrubar seu adversário. O juiz marcou falta por tripping, em um lance bem discutível. E Anaheim não desperdiçou a chance, empatando o jogo com Perry. Menos de 2 minutos depois, Chris Kunitz virou a peleja. O Canadiens sentiu o golpe, e o coach Carboneau trocou Halak, que havia cedido 4 gols em 12 chutes, pelo poupado Price. Mesmo assim o tricolor continuou indo pra cima, mas esbarrou em uma bela atuação de Giguere, que salvou até um lance cara a cara com Kovalev.

Travis Moen fez o 5º, em situação de Short-Handed, ainda no 2º período, e em Power Play na última parte, o inacabável Teemu Selanne deixou o seu. Price ainda salvou um penalty shot contra Perry e Alex Tanguay diminuiu a diferença, mas ficou nisso. Uma discrepante atuação dos goalies definiu o jogo. De um lado, Giguere salvou 47 dos 51 shots contra sua meta, e do outro, Halak teve uma atuação triste, cedendo 4 dos 12 tentados contra ele, e Price foi apenas um pouco melhor, cedendo 2 de 13. Segundo nosso estimado amigo Igor Vaconcelos, do blog Canadiens Brasil, foi o recorde de gols em empty net do Ducks em um jogo, seis.


Bruno Sader ecreveu essa matéria mediante a perda de uma aposta contra um companheiro de blog, que apostou na vitória do seu time, Ducks, contra o meu, Habs.

2 comentários:

Igor Veiga disse...

Uma pena essa varrida...
Bem que podia ser só em Toronto e Ottawa... :)
Abraçõs a todos e parabéns pelo blog.

4 de novembro de 2008 00:37
Bruno Sader disse...

valeu igor

abraço!

6 de novembro de 2008 13:46
COPYRIGHT 2007/2009 - BLOG NHL BRASIL - POLÍTICA DE PRIVACIDADE